Zahar, a tradição que se renova.

Nossa história começa em 1956 com a fundação da Zahar Editores, pioneira na publicação de livros de ciências humanas e sociais no Brasil e responsável pela formação de várias gerações de universitários e intelectuais brasileiros. Quase 30 anos depois, sua logomarca característica - um grande Z cortado por um livro aberto - havia sido estampada em cerca de 1.200 títulos.

A partir de 1985, demos início a uma nova editora: Jorge Zahar Editor.
Em 2007, passados 22 anos e com outros 1.200 títulos em catálogo, concluímos um ciclo de renovação que ampliou o leque de publicações com obras de interesse geral, sempre mantendo a qualidade Zahar - tradição de mais de meio século.
Para comemorar, desenvolvemos uma nova logomarca, buscando um desenho que remetesse às raízes da editora e refletisse a mudança que a projeta para o futuro.
Sobre o fundador - Jorge Zahar
Filho de pai libanês e mãe francesa, Jorge Zahar nasceu a 13 de fevereiro de 1920, em Campos. Em maio de 1940, já no Rio de Janeiro, começou a trabalhar na importação e distribuição de livros, aos quais se dedicaria com paixão daí em diante.
Auto-didata e “self-made man” criou, junto com os irmãos Ernesto e Lucien, a Livraria Ler. Em 1956 fundou a Zahar Editores que, um ano mais tarde, publicava seu primeiro livro — a tradução do Manual de Sociologia, de Rumney e Mayer. Era o início de uma tradição porque Jorge Zahar, além de pioneiro, continuou sendo o maior editor de livros de ciências sociais no Brasil. Há décadas estudantes universitários e intelectuais brasileiros encontram o nome Zahar na capa de livros que lhes servem de instrumentos de trabalho.
Cerca de trinta anos depois, aos 65 anos, fundou a Jorge Zahar Editor, junto com os filhos Jorge Júnior e Ana Cristina. Na nova editora manteve a linha editorial de publicação de ensaios, fortalecendo áreas como a filosofia e a psicanálise e voltando-se também para campos como a música e a história da ciência, além de investir seriamente em obras de referência.
Em cerca de 40 anos dedicados à publicação de livros de qualidade, Zahar enriqueceu as prateleiras nacionais com cerca de 2.000 títulos nos mais diversos campos do conhecimento.
A língua francesa lhe foi transmitida pela mãe, e a cultura francesa — o cinema, a poesia, a cozinha, os vinhos e até mesmo a música — sempre foi sua grande paixão, com que a muitos soube contagiar.
Jorge Zahar morreu na noite de 11 de junho de 1998, no hospital Pró-Cardíaco no Rio de Janeiro, em decorrência de uma endocardite bacteriana. Teve por fiel companheira durante 50 anos sua mulher Ani. Pai de três filhos, Aninha, Cristina e Jorginho, teve duas netas, Mariana e Clarice, e duas bisnetas Helena e Ana.
“Se me perguntassem o que falta ao Brasil para ser um grande país, eu diria que uns cinco Jorges resolviam a questão. Mas, para uso próprio, continuaria devoto do modelo original.”
Carlos Heitor Cony
Confira o catalogo de livros aqui.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Giro pelo Mundo

free counters

Quem espia

Comentários.

Campanhas Permanentes!

Alerta!

Protected by Copyscape Duplicate Content Check

Layout por Flavinha Garota de Aquario

Design by Emporium Digital