Conheça o Museu da Casa Brasileira

o museu
O Museu da Casa Brasileira (MCB) se dedica às questões da cultura material da casa brasileira. É o único do país especializado em design e arquitetura, tendo se tornado uma referência nacional e internacional nesses temas. Conhecido pela localização privilegiada, uma mansão da década de 40 quase no cruzamento das avenidas Faria Lima e Cidade Jardim, o MCB é um verdadeiro oásis entre os prédios da região com seu jardim de mais de 6 mil metros quadrados.
O MCB é uma instituição do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria de Estado da Cultura. Atualmente é administrado pela Organização Social "A Casa Museu de Arte e Artefatos brasileiros". 


 
Criado em 1970 com a denominação de Museu do Mobiliário Artístico e Histórico Brasileiro, recebeu o nome atual no ano seguinte, por sugestão do então diretor Ernani Silva Bruno, endossada por conselheiros como Sérgio Buarque de Holanda; em 1972, passou a ocupar a atual sede.

O Museu expõe em sua coleção permanente exemplares do mobiliário dos séculos XVII ao XXI e reforça, em sua agenda cultural, a vocação para as áreas de arquitetura e design por meio da multiplicação de exposições temporárias e de um programa diversificado de debates, palestras, cursos, oficinas e lançamentos de livros. Desde 1986 realiza anualmente o Prêmio Design Museu da Casa Brasileira, a mais longeva e tradicional premiação da categoria. Desenvolve também ações que propiciam a acessibilidade e a formação de novos públicos através de seu núcleo educativo que, além do atendimento ao público espontâneo, promove regularmente visitas agendadas voltadas ao público escolar (do ensino infantil ao superior) e público em geral. O núcleo oferece ainda programas específicos voltados à inclusão sócio-cultural, pessoas com deficiência, famílias e amigos entre outros.


localização

O acesso ao MCB é possível através de importantes vias de escoamento de trânsito em São Paulo, por onde circula transporte público conectado a todos os pontos da cidade. O número 2.705 da avenida Brigadeiro Faria Lima encontra-se praticamente no entroncamento com as avenidas Europa e Cidade Jardim. O Museu situa-se a duas quadras da Marginal do Pinheiros, na altura da ponte da Cidade Jardim, próximo às estações Faria Lima do metrô e Cidade Jardim da CPTM e é servido por linhas de ônibus conectadas ao centro e à Av. Paulista.

espetáculos
espetáculos

Entre a programação do Museu da Casa Brasileira, uma que já se consagrou como um agradável momento de lazer é o projeto Música no Museu. A idéia de apresentações musicais gratuitas aos domingos de manhã surgiu em 1997, por iniciativa da Sociedade Amigos do Museu da Casa Brasileira, então presidida por Delia Beru. Eram duas temporadas anuais, com apresentações no hall do Museu. Em 2004, os espetáculos foram transferidos para o terraço coberto, onde o público pode desfrutar de um cenário encantador: o surpreendente jardim de 6.600 metros quadrados, em plena Avenida Faria Lima. Esse ano foi definido um eixo para a programação que visava privilegiar os diálogos, realizando pontes entre tempos e culturas diferentes, mas com um foco central no aqui e agora: o Brasil, hoje, e suas multifacetadas influências e expressões.

O projeto apresentou espetáculos de música instrumental, erudita, popular, medieval e renascentista, procurando refletir o conjunto do universo musical dos curadores designados, que trabalharam principalmente um olhar sobre a música brasileira e internacional.
A partir de esse momento foram curadorias de renomados artistas do país. Cada um deles procurou trazer sua concepção e seu olhar sobre a diversidade musical existente na música brasileira.

Alguns dos curadores foram: Carlinhos Antunes, Joao Carlos Martins, Antonio Nobrega, Benjamin Taubkin, Julio Medaglia e Roberto Sion. No ano 2010 contamos com a curadoria do músico e arranjador Arrigo Barnabé, do Guga Stroeter, instrumentista e arranjador e uma breve curadoria do violinista Paulo Paschoal. Para o primeiro semestre de 2011 o projeto buscou apresentar um “olhar feminino” sobre o universo musical brasileiro, através da escolha de três curadoras de perfis musicais diferentes: Ana Maria Kiefer - cantora e pesquisadora; Miriam Taubkin - curadora e diretora musical; Magda Pucci – arranjadora. Para o segundo semestre de 2011 o projeto, com a coordenação de Carmelita Rodrigues de Moraes, busca traduzir a diversidade musical que sempre foi diretriz do projeto Música no Museu, através de formações diversas, do erudito ao popular, trazendo momentos musicais especiais. 


educativo
PEPE

Programa Inclusão
 
O Programa Inclusão (PI) propõe visitas com instituições dirigidas aos públicos geralmente negligenciados e privados do exercício pleno de seus direitos. A proposta é trabalhar as temáticas abordadas pelo museu somadas às necessidades apresentadas por cada grupo visitante, buscando assim suas características e potencialidades. Desenvolvemos parcerias, eixos de visitação, oficinas e propostas lúdicas que, através de uma abordagem focada na experiência, pretende ampliar o repertório cultural do visitante assim como fomentar noções de pertencimento em relação ao Museu e aos espaços culturais. Este contato mais aprofundado com os grupos de pessoas com deficiência foi iniciado em 2007 com o Programa Educativo para Públicos Especiais –PEPE e se ampliou em relação ao público de alta vulnerabilidade social. Isto propicia também a constante formação da equipe, fazendo como que os conhecimentos adquiridos com a prática vivenciada e suas reflexões possam se multiplicar para os outros grupos que recebemos. 

PEPE

Projeto Seu Museu
 
O Projeto Seu Museu é um esforço do Núcleo Educativo do MCB para formar em seu quadro de funcionários do Museu da Casa Brasileira um público em melhor sintonia com os preceitos que orientam a ação da instituição e mais inteirado da vida cultural da cidade de São Paulo. Simultaneamente a ação pretende qualificar tais funcionários, diariamente presentes no circuito, para melhor atender aos visitantes. A importância da capacitação das equipes de atendimento e operacional, como de Segurança e Limpeza, ganha destaque ao considerarmos seu contato direto com o público. Tal argumento se torna ainda mais relevante quando compreendemos esta ação dentro do conceito de inclusão. Com isso, além de estender nossas ações com parcerias e ações dentro e fora do museu ( Programa Inclusão), também nos voltamos aqui a compreender, capacitar e fomentar o interesse cultural em indivíduos que inseridos no circuito cultural por seu emprego podem sentir-se excluídos desse meio quando, depois de seu turno, retornam à suas casas.
PEPE

Programa Uma Tarde no Museu
 
O Programa ” Uma Tarde no Museu” é voltado às famílias e ao público em geral com a finalidade de incentivar de forma criativa e lúdica a leitura da coleção, exposições temporárias e programação cultural do MCB. A proposta inclui visitas educativas e atividades como jogos de tabuleiro, contação de histórias, oficinas entre outras. As estratégias e materiais são elaborados pela equipe de educadores do MCB e visam à experimentação de novas práticas de mediação com o público. Entre os objetivos centrais está o estímulo à cooperação e respeito entre pessoas e grupos de diferentes idades e perfis; o reconhecimento do museu enquanto espaço de convivência, lazer, diversão e aprendizagem e o estímulo às atividades voltadas para o público espontâneo. 

PEPE

Programa de Visitas Educativas 
 
O programa de Visitas Educativas é composto de visitas regulares à coleção e exposições temporárias do MCB. A equipe do Educativo busca aprimorar constantemente sua prática, através de pesquisas, elaboração de propostas, debates e reflexões com o objetivo de atender os diferentes públicos, adequando os conteúdos e as atividades de acordo com seus os objetivos e características dos grupos, como : faixa etária, grau de escolaridade, nível de compreensão, deficiência , realidade sócio-cultural entre outras. O público atendido é em geral composto por alunos do ensino formal de escolas públicas e privadas, da educação infantil ao ensino superior, participantes de Organizações Sociais (ONGs, associações, clubes, fundações, etc.) e público espontâneo. 
 
Visitas orientadas 

Visitas orientadas
De 23/1/2011 a 31/12/2012
Terça a domingo – Gratuito - 16h

Não é necessária inscrição prévia. O ponto de encontro é o hall do Museu. 
Cada visita pode ser feita com até 15 participantes. Ver outros horários disponíveis na recepção do museu.

Uma Tarde no Museu
Uma Tarde no Museu
Dia 25/8/2012 - às 14h30 - Gratuito

Dentro da programação do Design Weekend, crianças e adultos serão convidados a participar de brincadeiras tradicionais dentro do Jogo: Amarelinha de Brincadeiras.
A proposta também inclui a construção de um brinquedo que será levado pelos participantes.

Vagas limitadas, 25 – Sem limite de idade
Inscrições: 11 3032 2499 ou 3032 3727 

visitação

O MCB funciona de terça a domingo, das 10h às 18h
Ingressos: 

R$ 4,00
Estudantes: 
R$ 2,00
Domingos e feriados: gratuito


Estacionamento pago. 

De terça a sábado até 30 min. grátis,
Até 2 horas R$ 12,00, 
Demais horas R$ 2,00 p/hora. 
Diárias das 8 às 18: R$ 20 

Domingos e feriados: preço único R$ 15,00
Eventos especiais, preço s/consulta.


Fone/Fax: (+55 11) 3032-3727 / 3032-2564 / 3032-2499
Agendamento de visitas monitoradas: 3032-2564

Acesso a pessoas com deficiência

agenda
                                                         Veja a programação completa
                                              De 01/8/2012 a 31/8/2012

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout por Flavinha Garota de Aquario

Design by Emporium Digital