O Herói Perdido–Rick Riordan

23819030_4

SINOPSE: Depois de salvar o Olimpo do maligno titã Cronos, Percy Jackson e seus amigos trabalham duro para reconstruir seu mais querido refúgio, o Acampamento Meio-Sangue. É lá que a próxima geração de semideuses terá de se preparar para enfrentar uma nova e aterrorizante profecia. Uma mensagem que pode se referir a qualquer um deles:

Sete meios-sangues responderão ao chamado.
Em tempestade ou fogo, o mundo terá acabado.
Um juramento a manter com um alento final,
E inimigos com armas às Portas da Morte afinal.


Os campistas seguirão firmes na inevitável jornada, mas, para sobreviver, precisarão contar com a ajuda de alguns heróis, digamos, um pouco mais experientes — semideuses dos quais todos já ouvimos falar... e muito.

RESENHA: Eu quase tive um treco quando vi esse livro na prateleira da sessão de livros do supermercado onde eu frequento (e trabalho) e me senti na obrigação de compra-lo.

O Herói Perdido, da nova série de Rick Riordan, Os Heróis do Olimpo, traz de volta o nosso tão adorado Acampamento Meio-Sangue, matando a saudade dos nossos queridos semideuses. Entretanto, a história é diferente: um garoto, cujo nome é Jason, acorda em um ônibus escolar (ou melhor, de um reformatório) segurando a mão de uma garota que, mais tarde, descobre que o nome dela é Piper e um garoto, cujo nome é Leo, já começa a falar com ele. Mas a questão é que esse Jason está completamente... Desmemoriado. Sabia apenas o seu nome. O resto, como: o que ele estava fazendo no ônibus? Quem eram aquelas pessoas? Que dia era? Onde ele morava? Qual era a idade dele? Ele não tinha resposta alguma para essas perguntas, porque ele simplesmente não sabia.

Um curioso treinador desperta a atenção dele no ônibus onde estava; era baixinho e ao mesmo tempo, nervosinho, e logo já fecha a cara para Jason assim que o vê. Descobre-se que seu nome é Hedge, e, mais tarde, ele comenta sobre certo acampamento, que deixa Jason confuso. Ele os leva para o Grand Canyon para uma suposta excursão do reformatório para realizar alguns exercícios dados em uma folha... E é lá onde a ação começa.

Dylan, um garoto no qual Jason já não gostou assim que colocou os olhos (e que ficava puxando Piper para o seu lado o tempo inteiro), ataca os estudantes. Ele é, na realidade, um ventus, que veio com o intuito de matar os semideuses que estavam presentes naquela excursão, que eram, afinal de contas, Jason, Piper e Leo.

Após se livrarem do ventus, o treinador Hedge, junto de Annabeth e Butch, que aparecem para resgatá-los, os levam para o Acampamento Meio-Sangue, informando-os assim, oficialmente, que são semideuses. Ao chegarem, são recebidos por vários outros campistas e mais tarde, são reclamados: Leo é filho de Hefesto, Piper é filha de Afrodite e Jason... Bem, Jason é filho de Zeus.

Mas há alguns problemas, no qual o trio fica a par da situação: Percy Jackson desapareceu, junto da deusa Hera e depois disso, o Olimpo praticamente afundou-se em silêncio absoluto. E, pra variar, o trio é praticamente empurrado para salvar Hera, enquanto outros campistas vão atrás de Percy.

Eu devo dizer que simplesmente me apaixonei por esse livro, e o devorei enquanto lia. Não que eu queira menosprezar os livros anteriores, mas tenho que dizer que esse primeiro volume é incrivelmente eletrizante, e que eu só consegui parar de ler quando cheguei a última página, depois de passar uma noite inteira acordada (trabalhar depois nem precisa né haha).

Aconselho para quem é realmente fã de Percy Jackson, que mantenha a calma durante a leitura e que tente controlar seu coração, porque como o locutor da sessão da tarde diz, “essa turminha do barulho vai passar por incríveis aventuras e fortes emoções!”. Não estou brincando! A estória é tão viciante que você só vai conseguir parar de ler quando chegar ao ponto final e, provavelmente, vai surtar com as revelações que vão ocorrer durante o livro.

Gabi

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout por Flavinha Garota de Aquario

Design by Emporium Digital