Marcas Indeléveis - Ahtange

Olá Pessoal,

Enfim quinta-feira, acho que fico mais ansiosa do que os autores para chegar o dia de apresentá-los rs.

Conheci a Ahtange através de uma amiga em comum, fui conhecer seu livro que chamou minha atenção e interesse: o nome do livro, a capa e sua sinopse.
MARCAS INDELÉVEIS

Marcas indeléveis é um desabafo, uma certeza, uma busca, uma confirmação, uma estória para aquecer o coração e fazer sonhar,chorar, rir, refletir, tomar atitudes... Nos romances, sempre nos encontramos em um personagem e através dele somos capazes de viver o impossível através da imaginação. E deixar-se sonhar, reviver um amor perdido ou jamais esquecido. Apenas deixado na escuridão da saudade. Quantas pessoas nos deixaram marcas que jamais se apagarão. "MARCAS INDELÉVEIS" mostra pessoas sem máscaras, capazes de cometer atos inexplicáveis por amor, por ódio. Páginas de pura emoção. Esther vive uma trajetória de perdas, abusos, preconceito, violência no sentido literal da palavra, é uma mulher como tantas outras aprisionadas emocionalmente. Mas, mostra que é possível mudar, libertar-se e quem sabe ser feliz.

"MARCAS INDELÉVEIS" é cativante, emocionante por ser baseado em fatos reais. E a história de Esther é a história de tantas Marias, Anas, Helenas, Silvias e ... Leia e apaixone-se.

A alguns dias conheci seu blog Romances Indeléveis – lindo – não só visualmente, me encantei com sua poesia, com seu trabalho pessoal (retratado em forma de ficção em seu livro).

Então nada melhor do que a própria autora para falar a respeito.

Ahtange, obrigado por aceitar meu convite e dividir seu conhecimento com o trabalho realizado junto às vítimas de violência.

Inicialmente, gostaria que falasse um pouco sobre você?
Olá, eu é que agradeço a oportunidade. Bom, tenho 36 anos virginiana, flamenguista, APAIXONADA POR LIVROS RS! Sonhadora incorrigível.

Casada, mãe de três filhos Histarley de 16 anos, Lorenna de 12 anos e a caçulinha Linnara de 10 anos. Parafraseando Clarice depende de como você me vê passar.

Você é especialista em Educação Especial, palestrante, está terminando pós em psicopedagogia. Poderia nos contar um pouco como é desenvolvido seu trabalho? Sei que ainda tem sonhos futuros em relação a ele, poderia falar um pouquinho também a respeito?
Tudo começou quando ainda fazia o magistério, e no último ano de estágio em escola pública percebi uma realidade dura e feia, de pais, professores e crianças. E que era no espaço de sala de aula que isso vinha à tona de formas variadas; agressão, retraimento etc.

Daí o desejo de fazer algo, fui acumulando experiências, ouvindo pais e professores entre 2004 e 2008, MARCAS INDELÉVEIS nasceu definitivamente. Ministro palestras para pais e professores abordando vários distúrbios e tento ajudar a ambos como lidar com a difícil tarefa de educar e conscientizar, da grande responsabilidade que temos no processo de formação da personalidade. E costumo dizer que eu mudei desde que adentrei o mundo dos “especiais” o meu olhar para o outro mudou.

No seu blog você explica muito bem todas as “formas” de violência, acredito que seja difícil esse contato diário com pessoas que infelizmente passam por esse problema. Como você administra esse sentimento?
No início foi bem difícil, por não saber direito o que e como fazer, e é impossível não se envolver. Hoje com mais bagagem busco em primeiro lugar entender o que se passa com a vítima, orientar sem criticar e acima de tudo acolher. Às vezes choro com elas... e por elas...

Marcas Indeléveis (trata na ficção sobre o assunto) foi outra forma de levar ao conhecimento das pessoas atos “tão bárbaros”?
Sim, por ser um assunto complicado . E tem sido constante o espanto dos leitores ao me perguntarem se é mesmo baseado em fatos reais e quando confirmo, a reação é sempre. Karaca!!!! Sabemos que é muito grande o número de pessoas que leem romances por prazer, sem compromisso, então fica mais fácil chegar a um número infinitamente maior de pessoas. Através de Esther e toda sua trajetória faço um alerta aos pais e professores.

Senti vontade de saber um pouco mais da história de Esther. Podemos esperar uma continuação?
Talvez, quem sabe?

Sabemos da grande dificuldade de publicação de um livro, como está sendo esse processo para você?
Difícil, mas tenho encontrado anjos pelo caminho, e os blogs são de uma ajuda inestimável.
Meu alvo é principalmente uma parcela da sociedade muito carente, que posso dizer que vive de improviso, a realidade de pais e professores nos municípios mais afastados é de doer.

Como só está vendendo nos sites, e alguns cobram o frete, fica impossível à aquisição. Por exemplo, em Cana Brava MA, tivemos um encontro de dois dias, e conversamos sobre PARALISIA CEREBRAL E DEFICIÊNCIA FÍSICA. E pude sentir o quão difícil seria adquirir um exemplar pela internet.

Quais são seus projetos literários para o futuro?
Tenho 03 contos, prontos, mas minha atenção está voltada para PSICOPATIA o inimigo pode está ao seu lado. Continuo abordando temas relacionados à violência, como Transtorno de Personalidade Múltipla, adquirido em decorrência de abuso sexual na infância e a psicopatia em si.

Gostaria de deixar uma mensagem?
“Que só será possível mudar a educação, quando houver uma mudança interna em cada pai, professor ou responsável pela educação de uma criança”.

Quando cada um conscientizar-se do seu papel na sociedade. “Quando a escola e a família cumprirem verdadeiramente com seu papel social na tarefa de educar”.

Um livro: MARCAS INDELÉVEIS ( RS! RS!)

Um personagem: Lex Templeton  de A Senhora do jogo

Um desejo: Que as pessoas entendam o verdadeiro valor da família e que é um espaço primordial para todo indivíduo.

Um sonho: Construir um centro de atendimento para vítimas de violência doméstica.
Já tenho coisas importantes, coragem, vontade, e o terreno.
E poder viajar por conta própria ministrando palestras para pais e professores.

Comentários
Esther, agora é uma mulher bem-sucedida, mas sua história teria tudo para ter seguido outro rumo.

Esther uma garotinha de olhos expressivos e cabelos cor de mel, de família muito pobre, que aos doze anos vê sua chance de mudar de vida, quando sua mãe querendo uma vida melhor para os seus filhos decide enviá-la para Fortaleza, para morar com a família de uma conhecida em melhores condições para ser “acompanhante” da sua filha.

O que seria a realização de um sonho transformou-se em um pesadelo, onde conheceu dor, tristeza, perdas…

Ao chegar em Fortaleza, foi determinado que seria a "empregada" da casa, passando por diversas humilhações daquela que seria sua “amiga”.

Conhece dois garotos lindos (um pobre e um rico) que faz com que fique dividida, mas uma tragédia põe fim a qualquer opção.

Muito triste com essa situação, acaba por se envolver com um homem mais velho e casado, homem este que até a amava de verdade, mas a sua ambição pessoal e profissional fala mais alto.

Esther, aos poucos entende que precisaria esforçar-se e se empenhar nos estudos caso realmente quisesse algo diferente na sua vida.

O que conseguiu até conhecer o novo amor de sua vida e novamente teve uma grande decepção, passou por humilhação, privação, agressão, violência…seria o fim de Esther

Não, Esther provou ser forte, guerreira, readquiriu seu amor-próprio e deu a volta por cima.

Infelizmente na vida real, não é sempre que podemos comemorar a conquista de Esther.

Ahtange, mais uma vez agradeço por compartilhar seu trabalho, realizado com tanto amor e carinho.

Confesso que foi má rs em não me dizer se haverá uma continuação.

E desejo de coração que consiga realizar seu lindo sonho.

Foi um grande prazer conhece-la! E agora chamá-la de parceira.

Seja bem-vinda!

6 comentários:

Adriana Brazil qui fev 10, 09:25:00 AM  

Ai que legal!!
Como foi gostoso conhecer um pouco mais da Ahtange! Conheço ela já um tempo, lá do Clube dos Autores, essa entrevista só confirmou para mim a pessoa humana e sensível que ela é.
Não li seu livro e espero ler em breve!
Ah querida! Adorei saber que vc é flamenguista que nem eu!! \o/
Marcinha parabéns por trazer à tona mais um talento nacional!
bjks meninas

Mari Sampaio qui fev 10, 10:53:00 AM  

Nossa! Deve ser um livro incrível, e com certeza muitas pessoas iráo se identificar de formas diferentes!
Ás vezes a agressão não está vinculada ao físico, e sim ao psicológico, então ninguém costuma ver.
Com certeza está na minha lista!
Sucesso para a autora, e eu amo o seu blog menina!
Parabéns.
http://tijolinhosdepapel.blogspot.com/

Ahtange Ferreira qui fev 10, 01:51:00 PM  

" A suprema felicidade da vida é a convicção de ser amado por aquilo que você é, ou melhor, apesar daquilo que você é".
Victor Hugo
É ASSIM QUE DEVEMOS AMAR, e isso Márcia, você faz com maestria . É maravilhoso o trabalho que você está fazendo, esse seu olhar e sua disponibilidade faz toda a diferença. Muito obrigado pelo carinho e pelo espaço.
Sem deixar de agradecer a todos os blogs que fazem esse trabalho. PARABÉNS!!!

Não tenho sex fev 11, 11:01:00 AM  

Vi o link no face e resolvi conferir e gostei do blog.
E a entrevista muito linda, chamou atenção por ser um tema tão importante.E a autora parece muito sensível. Fiquei com vontade de lê e vou. Parabéns!! Pela maneira que você abordou ficou ótimo.

Nanda Meireles sex fev 11, 08:23:00 PM  

Amei a postagem! Conhecer a Ahtange um pouquinho mais foi maravilhosos.
Sei, por amigos que já leram, o quanto ela é talentosa e terei o prazer de ler o seu livro em breve. Tenho certeza que ficarei tão encantada quanto você, Marcinha.
Beijos

Raphilicious dom fev 13, 12:23:00 PM  

Olá!

Gostaria de saber se você aceita parceria com o meu blog!

Qualquer coisa me avisa, grande beijo! :)

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout por Flavinha Garota de Aquario

Design by Emporium Digital