Um Sonho a Mais by Nanda Meireles


Meninas(os) na postagem anterior convidei vocês a visitarem o blog do livro Um sonho a Mais da nova escritora brasileira Nanda Meireles.

Hoje a Nanda gentilmente enviou como sua história com os livros começou e como nasceu Um Sonho a Mais para apresentarmos a vocês.

Nome: Fernanda Fernandes de Meireles
Idade: 25 anos
Carioca
Twitter: @umdream (pessoal) e @Um_Sonho_A_Mais
Gênero: Romance
Número de páginas: 148
Editora: Indefinido (ao final da postagem eu explico)***
Blog: http://lendosobrelivros.blogspot.com/2010/04/meu-primeiro-livro-um-sonho-mais.html



Meu primeiro contato com os livros foi durante o ensino médio, me apaixonei pelas aventuras de Pedro Bandeira e desde então nasceu à vontade de escrever minha própria estória de romance para jovens. O tempo passou, coisas aconteceram e só agora, 10 anos depois, me animei a encarar esse desafio. O resultado foi surpreendente, em um mês a estória de “Um sonho a mais” já estava terminada. Claro, levou bem mais tempo para chegar a um nível particular satisfatório. Agora sim, um ano depois, acredito que posso apresentá-la aos leitores.

Sinopse de Um sonho a mais

Fabiana Andrade é uma jovem estudante de 17 anos, criada pela mãe costureira, abandona pelo pai ainda muito pequena, sentiu na pele a dificuldade de uma vida mal planejada ou levada pelo acaso. Determinada, tem um sonho: fazer uma boa faculdade, abrir sua própria rede nacional de papelarias e dar a sua batalhadora mãe um bom descanso e uma digna recompensa por todo amor e cuidados dados a sua única filha.

Na escola só tem um amigo, Dinho, um jovem rebelde capaz de criar caos por onde passa e mesmo assim ser visto com bons olhos por Fabi. Mas no meio do último ano do segundo grau uma das peripécias de Dinho acarreta em uma grave suspensão, sua mãe, preocupada, decide afastá-lo de quem julga ser a culpada pelas atitudes de seu filho, a própria Fabi.

Então o segundo semestre começa. Fabi não tem mais a companhia de seu único amigo, seu paquera passa as férias em outra cidade enquanto ela fica trancada em casa por conta do mês mais chuvoso de sua jovem vida, com certeza não era nada animador, mas tudo na vida de Fabi estava prestes a mudar.

Melissa e Daniel são irmãos, ela tem 17 e ele 18 anos, mas por causa de uma época meio rebelde, ambos estão no mesmo ano colegial. Provenientes de família da classe média alta, os irmãos enfrentam a dura perda do pai, um advogado bem sucedido. A mãe decide ir morar por uns tempos com um parente em busca de apoio e coloca Mel na escola mais perto, uma pública.

O rapaz ainda fica matriculado na antiga escola, mesmo sendo em outra cidade, porque já possui carteira e um carro popular.

A amizade de Mel e Fabi é instantânea, assim como a atração entre ela e Dane. Depois de uma enrolada e quase cômica fase de conquista, Fabi aceita namorar não namorando. Afinal, as provas para as universidades exigiam sua total atenção.

Muitas confusões acontecem antes de Fabi entender a força e veracidade daquele amor, mas nada será fácil já que Dinho retorna a escola e encontra sua paixão reprimida nos braços de outro.

Intrigas, ciúmes, armações, desilusões e escolhas surpreendentes apaixonarão cada jovem leitor que ousar embarcar nas emoções de “Um sonho a mais”.

Trechos selecionados do livro:

“Entrei no Arabella no 5° ano do ginásio, sempre fui baixinha e até os 13 anos meu apelido era “palito de dente” ou “cabo de vassoura” e até mesmo “tábua de passar”, não foram anos muito bons, mas a partir dos 14 anos as coisas começaram a melhorar. Claro que não virei nenhuma modelo, mesmo porque não passei dos 1,60 m de altura, mas comecei a tomar corpo, continuei magrinha, mas o busto e o quadril, assim como minhas pernas, começaram a seguir o típico padrão brasileiro. Ou seja, os apelidos pararam e os rapazes começaram a puxar todo o tipo de conversa comigo, não que eu estivesse interessada em algum deles, porque eu tenho um grande objetivo na vida: passar no vestibular.”

* * *

“Um monza preto, antigo, mas bem cuidado vinha na nossa direção. Continuei sentada observando enquanto ela seguia até o carro. Um garoto saiu ao seu encontro e fiquei muito grata por estar sentada porque acho que se estivesse de pé cairia, era o garoto mais bonito que eu já tinha visto! Não tinha absolutamente nada a ver com a Melissa, a única coisa parecida era a altura, mas ele tinha o cabelo bem curto e preto, olhos castanho-amarelados e tinha a barba rala. Vários garotos da escola se vangloriavam com uma coisa parecida com barba, mas a dele era de verdade, parecia ser bem mais velho, o corpo era perfeito e o sorriso me cortou o fôlego. Saiu do carro e foi direto falar com a irmã.

- Foi mal, Mel. O trânsito da outra escola até aqui tava terrível. – passou a mão no cabelo da irmã de uma forma muito carinhosa, ela nem ligou.

- Tudo bem Dane, eu tava conversando com uma colega, vêm cá pra eu te apresentar.

Meu coração ficou descontrolado, levantei com um tremendo esforço e fui ao encontro deles torcendo para não ficar com o rosto que nem tomate.

-Essa é a Fabi, ela é da minha sala e foi muito legal comigo hoje, esse é o Daniel meu irmão.

Apertamos as mãos e demos dois beijinhos no rosto, foi incrível, ele usava um perfume muito bom e apertou minha mão com força, quase fiquei sem ar.

- Prazer em te conhecer, a Melissa falou bastante de você. – ele me olhou o tempo todo bem nos olhos, antes de falar parecia que estava pensando em alguma outra coisa.

- O prazer é todo meu. Pode me chamar de Dane.”

* * *

“Meu coração parecia prestes a sair pela boca, Dane estudando ali? Na minha sala? Não podia acreditar nisso.

- Ele disse que tava gastando muita gasolina indo pra lá e pra cá e que aqui ia poder ficar de olho em mim... Como se precisasse!

Então era isso, ele achou que os meninos poderiam arrumar encrenca com ela, muito protetor da parte dele, mas o Dane no Arabella? Era muito bom para ser verdade.

- E quando ele começa?

- Ele já começou, pena que teve que ficar na outra sala. – claro, havia duas salas do último ano e aparentemente aquela era a que tinha menos alunos, na verdade, se Dinho não tivesse saído da escola, Melissa também ficaria na outra turma.

Uma sala de distância era tudo o que separava Dane e eu. Não podia esperar para a hora do intervalo!”

* * *

“- Está meio longe de casa, entra que eu te levo.

- Não obrigada.

- Deixa de ser teimosa, entra no carro.

- Não.

Não sei o que eu esperava, talvez que ele desistisse e fosse embora, que ele me pusesse à força no banco do carona, seja lá o que for não estava preparada para o que ele fez. Dane parou o carro de maneira brusca, eu continuei andando, ele saiu do carro e em algumas passadas me alcançou, me puxou pelo pulso e me virou para ele.

- Por que você fugiu daquele jeito?

- Eu não estava me sentindo bem. – ele estava tão perto, mais um passo e estaríamos nos abraçando, sentia seu hálito quente em meu rosto toda vez que falava.”

* * *

“- E então, ainda NÃO estamos namorando?

- Ai Dane, não podemos fazer as coisas assim só entre nós dois?

- Tudo bem... Só pra saber, ainda tenho sua permissão pra sair com quem eu quiser? – olhei para ele revoltada, de boca aberta diante daquela pergunta ridícula, ele parecia divertido com a minha reação.

- Já tem alguém em mente? Vai acabar com a fama de galinha.

- Fabi, a mesma tonta de sempre. – tentou me roubar um beijo rápido enquanto esperava o sinal abrir, mas virei o rosto zangada pelo seu comentário. Dane riu da minha recusa e com um desvio, deu um beijo quente e molhado no meu pescoço bem em baixo da orelha, antes de me afastar ele voltou sua atenção para o trânsito rindo, tive que rir também.

- Vamos combinar assim, a gente está namorando em segredo, ninguém vai saber, a gente se encontra quando der, mas sem direito a sair com mais ninguém, isso inclui a peste loira, ta bom assim?”

* * *

“Inacreditável! Quando que eu poderia sonhar com uma coisa daquelas? Queria sorrir, queria chorar, mas queria acima de tudo agradecer aquele lindo bilhete me envolvendo nos braços de Dane. Fiquei sentada sob o sol, lendo e relendo meu mais precioso tesouro, até ouvir o sinal, tinha perdido a primeira aula, sorri ao me dar conta que não me importava, não me lembrava da última aula que havia perdido ou faltado no segundo grau, a minha obsessão pelos estudos já não fazia tanto sentido. Estava apaixonada por um rapaz que além de lindo e inteligente também estava apaixonado por mim, me preparei durante muito tempo para o vestibular, se eu tivesse que passar eu passaria, o ano seguinte teria vestibular de novo mas o Dane podia não estar ali. Era isso o que ele quis dizer quando me falou sobre tempo perdido, e estava certo...”

* * *

“A Mel parecia chateada comigo, mas não sei bem por que, quando a aula acabou estávamos descendo as escadas, Dane sorria do meu lado, minha vontade era pegar na mão dele e deixar todo mundo sabendo da verdade, mas eu queria falar primeiro com a Mel, quando passamos em frente à secretaria meu olhar ia da Mel para o Dane, o resto do mundo pouco importava, até que ouvi o meu nome atrás de mim, gelei, mas gelei mesmo como nunca havia gelado na vida, não me virei de primeira, percebi que todo mundo na nossa frente virou e parou para observar a cena e eu sabia por que, conheceria aquela voz até depois de morta e sabia o que aconteceria, juro que considerei sair correndo, mas não dava mais, respirei fundo e me virei.

-Cabeção! – Dinho me abraçou do jeito que ele sempre fez, me girou mais de três vezes e me pôs no chão, lascou um beijo na minha bochecha bem perto da boca e me manteve num abraço de urso ao seu lado. A escola já tinha se acostumado com o exagero dos nossos cumprimentos, só pararam para ter certeza se seria a mesma coisa, ouvi alguns falando “o gigante voltou”, “tranquem as dispensas”, “o casal modelo do Arabella ataca outra vez”. Só dois pares de olhos continuavam a nos observar e eu tinha a mais absoluta certeza do que eles estavam dizendo, os olhos da Mel diziam “quem é esse gigante e por que nunca você me falou dele?” e os olhos mais lindos do mundo que estavam quase vermelhos de ódio diziam “o que significa isso?”...

* * *

“Se houve algum momento na minha vida em que eu pensei em desmaiar foi aquele. Meu coração, descontrolado já saía pela boca. Minha tentativa de respirar não estava funcionando. Onde estava o Dane? Aquele recado era uma zoação? Não, impossível! Ninguém nunca viu meu bilhete-tesouro, claro, só quem o escreveu. Nada fazia sentido, mas eu precisava sair dali, não podia confrontar o Dane, não ainda, talvez ele nem tivesse ouvido o bilhete. Ele apareceria ali como se nada tivesse acontecido? Mas aconteceu. Eu descobri o motivo dele estar tão estranho ultimamente. Descobri que tudo não passou de mais uma conquista para ele. Descobri que tudo era uma mentira. Saí antes que ele voltasse, corri como uma louca na direção oposta da multidão, cheguei ao portão e só parei quando vi Dinho conversando alegremente com um colega, parecia que já estava indo embora. Quando me viu parou de conversar e veio correndo ao meu encontro com uma expressão séria e preocupada...”

* * *

“Eu tinha um sonho e toda minha vida planejada de forma a não falhar, tinha um bom amigo que entendia minhas necessidades e nunca havia me decepcionado. Até que conheci alguém, me apaixonei por esse alguém e acreditei firmemente em tudo o que dizia.

Decepcionei-me...”

* * *

“E pensar que eu realmente larguei tudo por ele, magoei meu amigo, deixei meus sonhos de lado. Só Deus sabe o que mais eu seria capaz por ele. Aquela noite mesmo fui capaz de me imaginar por toda vida ao seu lado, que idiota! A anta atacava outra vez! Mas eu tinha tempo, iria pôr minha vida nos trilhos de novo, só precisava fazer aquela dor no meu peito parar. Tinha que tirar as lindas imagens e palavras mentirosas da minha mente...”

* * *

“Expulsa, expulsa, expulsa”. Minha cabeça dava voltas, mas era verdade, quaisquer das coisas que eu julgava legais com Dinho eram deploráveis, isso botava em risco meu futuro, meus sonhos. Como eu pude ser tão desatenta? Dane ainda me mantinha nos seus braços, afagava minhas costas e me acalmou em um instante, me separei mesmo sem vontade.

- Obrigada, eu não fazia idéia de tudo isso, quer dizer, não assim desse ponto de vista. Eu acho que hoje foi a gota d’água...”

Espero que seja o suficiente para uma boa introdução à emocionante estória de “Um Sonho a Mais” sem mais delongas,

Nanda Meireles.

*** Hoje, dezessete editoras já estão analisando meu original, o prazo de resposta varia de 3 a 6 meses. Então vamos mostrar para elas que “Um Sonho a Mais” pode ser uma boa aposta!

Plagiando a Nanda "sem mais delongas" digam se ela não é uma fofa!!!  Então vamos ajuda-la a provar que "Um sonho a Mais" é uma ótima aposta (eu já apostei e estou torcendo muito pela Nanda). Participe da campanha #umsonhoamais, deixem seus comentários no blog Lendo sobre Livros (onde a Nanda dá mais alguns detalhes sobre o livro e responda a sua pergunta "SURPRESA") e no Twitter (já estou participando).

Obrigado a todos.

Bjs....

2 comentários:

Nanda Meireles sex jun 18, 09:12:00 AM  

Eu tinha que comentar não é? Afinal seu carinho e atenção tem sido algo tremendo na minha vida. Obrigada por tudo.
Um grande beijo.
Nanda Meireles

Cleidoca seg dez 13, 03:41:00 PM  

Eu gostei muito tragetoria do livro quero ler mais... Espero que vc possa e consiga logo que este livro seja lançado.
Bjkas da Cleidoca

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout por Flavinha Garota de Aquario

Design by Emporium Digital